Greve na França obriga governo a usar reservas de combustível

  • Por Estadão Conteúdo
  • 25/05/2016 13h46
TIB103 LE HAVRE (FRANCIA), 25/05/2016.- Vista de la cola de coches para entrar en una gasolinera durante la huelga en Le Havre, Francia hoy 25 de mayo de 2016. El Gobierno francés reconoció hoy que está utilizando las reservas estratégicas de carburantes para tratar de garantizar el aprovisionamiento frente a las huelgas y bloqueos en refinerías y depósitos petrolíferos contra su reforma laboral, que han agotado los tanques de cientos de gasolineras. EFE/Thibault VandermerschFrança Crise energética

A greve dos trabalhadores nas refinarias e depósitos de combustível da França já obrigou o governo a utilizar o equivalente a três dias de reserva energética para lidar com desabastecimento dos postos de gasolina. Segundo o ministro júnior dos Transportes, Alain Vidalies, cerca de 40% dos postos de Paris já estão parcial ou totalmente desabastecidos e o governo dispõe de combustível suficiente para mais 112 dias.

O desabastecimento já causa longas filas nos postos da capital. Para Olivier Criq, um consumidor que estava num posto a oeste de Paris, os protestos dos trabalhadores merecem apoio, mas não as greves de combustível. “Eu concordo com o direito de fazer greve, mas discordo do bloqueio dos combustíveis. Eles poderiam ir protestar nos ministérios e no Palácio do Eliseu. Não é normal o povo francês ser feito de refém”, opina.

Os trabalhadores protestam contra as reformas trabalhistas propostas pelo governo, que preveem o aumento da jornada de trabalho semanal, maior facilidade para demitir funcionários entre outras mudanças.

Desde a semana passada, quando os protestos começaram, a polícia já conseguiu desbloquear 11 depósitos de combustível. Porém, o governo ainda não tomou nenhuma decisão a respeito das refinarias, uma vez que a principal preocupação é garantir acesso aos depósitos, de acordo com Vidalies.