Guarda Costeira dos EUA repatria 65 imigrantes cubanos interceptados no mar

  • Por Agencia EFE
  • 19/08/2015 20h40

Miami, 19 ago (EFE).- Os Estados Unidos repatriaram nos últimos cinco dias 65 imigrantes cubanos que tentaram chegar ao país pelo mar e acabaram interceptados pela Guarda Costeira em barcos precários no Oceano Atlântico.

Os cubanos foram capturados em seis diferentes operações na costa da Flórida antes de chegarem ao território americano. Todos foram levados de volta e deixados na Baía de Cabañas, no norte de Cuba, informou a Guarda Costeira dos EUA em comunicado divulgado nesta quarta-feira.

As autoridades americanas afirmaram hoje que 3.611 cubanos tentaram entrar no país pelo mar de outubro de 2014 até o momento. O número é quase superior ao do último ano fiscal (entre outubro de 2013 e setembro de 2014), que foi de 3.677.

“Essas viagens são extremamente perigosas e podem resultar na perda de vidas. Assim que os imigrantes estão a bordo dos barcos da Guarda Costeira, tentamos repatriá-los rapidamente”, disse o capitão Mark Fedor, chefe do 7º Distrito do órgão.

Os cubanos que chegam ao território americano são beneficiados pela Lei de Ajuste Cubano de 1996 e a política de “pés secos/pés molhados”, podendo permanecer no país. Os que são interceptados antes de alcançar à costa são deportados à ilha.

Segundo a Guarda Costeira, a incerteza sobre uma possível mudança da política migratória após o restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países fez disparar a chegada de imigrantes cubanos ao território americano.

O Escritório de Alfândegas e Proteção de Fronteiras (CBP) revelou que 23.978 cubanos chegaram, entre 1º de outubro de 2014 e 31 de maio deste ano, através da fronteira do México, do porto e do aeroporto de Miami. No último ano fiscal (de outubro de 2013 a setembro de 2014), o total foi de 22.162. EFE