Honduras envia sangue de americano aos EUA para descartar caso de ebola

  • Por Agencia EFE
  • 15/03/2015 17h51

Tegucigalpa, 15 mar (EFE).- O Ministério da Saúde de Honduras enviou aos Estados Unidos neste domingo uma amostra de sangue de um cidadão americano, que permanece isolado no país sob suspeita de infeção por ebola, para descartar um possível caso da doença.

A ministra hondurenha de Saúde, Yolani Batres, disse que profissionais especializados “coletaram as amostras” conforme estabelece o protocolo da Organização Mundial da Saúde (OMS) e as foram enviaram ao Centro para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC), com sede em Atlanta (EUA.), para a análise.

O resultado das análises deve demorar cerca de três dias, de acordo a alta funcionária à rádio HRN em Tegucigalpa.

Gordo Barker, de 66 anos, foi hospitalizado na sexta-feira em uma clínica na cidade de Comayagua por problemas de hipertensão e recebeu alta no sábado, mas segue em observação, explicou Batres.

“O paciente está muito estável, não teve febre e já melhorou sua crise de hipertensão, mas está isolado e aguardando o tempo determinado pelas normas internacionais”, ressaltou.

As autoridades hondurenhas ativaram um protocolo de saúde até descartar qualquer possibilidade de que o americano esteja infectado, afirmou a funcionária, que disse que espera que “o paciente saia negativo”.

O homem chegou a Honduras no dia 11 de março, após permanecer “por algum tempo na Libéria”, mas “não apresentou nenhum sintoma”, por isso teve permissão para sair do aeroporto Toncontin, de Tegucigalpa, e seguiu rumo a Comayagua, segundo as autoridades.

O americano chegou da Libéria, onde trabalhava, e passou por Londres e Estados Unidos antes de chegar ao país centro-americano.

Em comunicado, as autoridades hondurenhas afirmaram no sábado que qualquer pessoa que chegar a Honduras de algum país que tenha registrado casos de ebola será “isolada e vigiada” para “garantir o bom estado e a ausência total de qualquer doença que ponha em risco a saúde da população”. EFE