IBGE: demanda industrial e menor inflação estão por trás da melhora nos serviços

  • Por Estadão Conteúdo
  • 13/04/2017 12h33
Marcello Casal Jr./ABrSAO PAULO / 20/06/2014 / ECONOMIA / Funcionária trabalhando em posto do Correio. Foto:

A maior demanda industrial e o arrefecimento da inflação ajudaram na melhora do setor de serviços nos últimos meses, segundo Roberto Saldanha, analista da Coordenação de Serviços e Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O volume de serviços prestados no País cresceu 0,7% na passagem de janeiro para fevereiro, o quarto resultado positivo consecutivo, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços.

“Transportes vêm contribuindo para essa melhoria justamente pelo fato de ter maior demanda do setor industrial. Nos serviços prestados as famílias, embora ainda tenha desemprego inadequado e queda na renda, estamos experimentando uma estabilização de preços, permitindo às famílias uma retomada do consumo”, avaliou o pesquisador do IBGE.

Os Serviços prestados às famílias tiveram avanço de 0,6% em fevereiro ante janeiro, enquanto Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio cresceram 0,5%. Os serviços de informação e comunicação recuaram 1,5%, mas vinham de uma alta de 6,9% no mês anterior. De acordo com o pesquisador, essas são as três atividades que vêm contribuindo para as taxas positivas mostradas pelos serviços recentemente.

“O transporte é muito influenciado pelo transporte de carga. Há uma melhoria do transporte terrestre porque tende a acompanhar essa melhoria também do setor industrial. A indústria tende a aumentar o serviço de transporte contratado tanto para recebimento de matérias-primas quanto para distribuição da produção industrial”, ressaltou o analista do IBGE, ponderando, porém, que o crescimento recente ainda não foi suficiente para compensar as perdas acumuladas nos anos anteriores.

Segundo Saldanha, os dados da pesquisa indicam que o pior já passou no setor de serviços, no entanto, a retomada ainda depende da recuperação industrial e da demanda de governos. No caso dos serviços prestados às famílias, a taxa de desemprego elevada ainda é um entrave à recuperação.

No acumulado em 12 meses, todas as atividades de serviços permanecem com perdas. Na média global, o volume de serviços prestados acumulam uma retração de 5,0%.