IFJ pede que Brasil garanta segurança dos jornalistas em protestos

  • Por Agencia EFE
  • 11/02/2014 16h44

Bruxelas, 11 fev (EFE).- A Federação Internacional de Jornalistas (IFJ) pediu nesta terça-feira às autoridades brasileiras garantam a segurança dos jornalistas que cobrem manifestações públicas, depois da morte do cinegrafista Santiago Ilídio Andrade.

A IFJ disse que é mais do que necessário que o Brasil realize uma investigação cuidadosa sobre o ocorrido, ao tempo que apelou às autoridades a melhorar as condições de segurança para os profissionais dos veículos de comunicação.

“Expressamos nossa profunda tristeza e solidariedade com nossos colegas no Brasil, depois das notícias sobre Santiago Ilídio Andrade”, afirmou o presidente da IFJ, Jim Boumelha, que urgiu às autoridades a investigar o incidente e a levar os responsáveis perante a Justiça.

“Com a proximidade da Copa do Mundo, também instamos às autoridades do país a aprender com os erros dos distúrbios do ano passado, quando muitos jornalistas foram atacados ou detidos, e a garantir uma cobertura segura das manifestações por parte dos comunicadores”, acrescentou.

Ele pediu ainda que o Brasil garanta o direito à liberdade de imprensa e de expressão no país.

Por outro lado, a IFJ pediu que a imprensa brasileira assuma sua responsabilidade de zelar pelo bem-estar de seus jornalistas, ao tomar as “medidas necessárias para garantir que (…) estejam protegidos”, afirmou a secretária-geral IFJ, Beth Costa. EFE