Igreja deve curar as feridas e dar esperança, diz papa ao encerrar Sínodo

  • Por Agencia EFE
  • 19/10/2014 09h00

Cidade do Vaticano, 19 out (EFE).- O papa Francisco afirmou neste domingo na missa de encerramento do Sínodo sobre a família, que se tratou de uma “grande experiência” de união e lembrou que a Igreja deve curar as feridas e dar esperança.

Durante sua homilia, Francisco afirmou que o Sínodo, que debateu durante duas semanas temas relacionados à família, “foi uma grande experiência” vivida com “colegialidade”.

O papa argentino acrescentou que nestes dias os participantes da assembleia dos bispos sentiram “a força do Espírito Santo que guia e renova sem cessar à Igreja, chamada, com premência, a assumir as feridas abertas e a devolver a esperança a tantas pessoas que a perderam”.

Por isso, Francisco deu graças a Deus “pelo dom deste Sínodo e pelo espírito construtivo com que todos colaboraram”.

“Que o Espírito Santo que, nestes dias intensos, nos concedeu trabalhar generosamente com verdadeira liberdade e humilde criatividade, acompanhe agora, nas Igrejas de toda a Terra, o caminho de preparação do Sínodo Ordinário dos Bispos do próximo mês de outubro de 2015”, acrescentou.

“Semeamos e seguiremos semeando com paciência e perseverança, com a certeza que é o Senhor quem dá o crescimento”, concluiu.

A cerimônia de hoje também foi a de beatificação de Paulo VI (1897-1978), a quem se deve a criação do Sínodo dos bispos. Ela foi assistida por Bento XVI, nomeado cardeal por Paulo VI, e os cerca de 200 participantes do Sínodo. EFE