Incêndios na Grécia matam um e causam graves danos a casas e florestas

  • Por Agencia EFE
  • 17/07/2015 17h46

Atenas, 17 jul (EFE).- A Grécia enfrenta nesta sexta-feira quatro incêndios em diferentes partes do país, que deixaram um morto e causaram graves danos a casas e florestas do país.

O mais grave deles é na cidade de Neapoli, no sul do Peloponeso, onde um homem de 58 anos morreu ao ser intoxicado com a fumaça e sofrer um infarto.

O porta-voz dos bombeiros, Nikolaos Tsongas, anunciou que a situação melhorou por causa da diminuição do vento, embora o fogo, que começou 3h50 (21h30 de ontem em Brasília) ainda não está sob controle, pois os fortes ventos estão dificultando os trabalhos, realizados por 55 carros, 160 bombeiros, três aviões cisterna e dois helicópteros.

O fogo já queimou 17 casas, e uma grande camada de fumaça cobre o céu de Neapoli, aumentando a temperatura e dificultando a respiração. Muitas famílias ficaram sem eletricidade por causa dos danos que as chamas causaram às redes elétricas.

Outros dois incêndios acontecem em dois dos montes de Atenas, Mitos e Parniza.

O porta-voz dos bombeiros espera que o fogo do monte Mitos seja controlado antes que a noite avance, mas as chamas já chegaram perto da parte habitada, danificando uma casa e uma taverna.

Muitos dos moradores dos bairros de Vyronas, Ilioupoli, Argiroupoli e Mitos, na periferia de Atenas, se somaram às tarefas de extinção com mangueiras, baldes e extintores.

Aos pés do monte Parniza, também em Atenas, outro incêndio em uma área conhecida como Malacasa, mobilizou 44 bombeiros, 12 caminhões cisternas e dois aviões.

A televisão pública grega informou que 400 hectares de floresta já foram consumidos pelo fogo.

Segundo Tsongas, as chamas continuam ativas e obrigaram a evacuação de dois acampamentos de verão.

A situação é muito melhor na ilha de Eubea, onde o incêndio do município de Nea Artaki foi completamente controlado depois de queimar 50 hectares, anunciou o porta-voz dos bombeiros.

Nas últimas horas foi declarado outro grande incêndio em Spathovuni, na região do Corinto, também no Peloponeso, mas que por enquanto está restrito à floresta.

Foram declarados hoje 52 incêndios florestais em todo o país. As causas do fogo estão sendo investigadas, e há indícios de que algumas das chamas foram induzidas.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, foi ao centro de controle de incêndios junto com o ministro adjunto de Proteção Cidadã, Yanis Panusis, para supervisionar as tarefas de extinção, e pediu que a população mantivesse a calma e ajudasse no combate ao fogo, sob a orientação dos bombeiros.

O governo grego solicitou ao Mecanismo Europeu de Defesa Civil ajuda de quatro aviões cisterna, e o ministro da Defesa, Panos Kamenos, anunciou que haverá patrulhas das forças armadas nas florestas para evitar incêndios propositais.EFE

rc-yc/cd