Índia critica Congresso dos EUA por não apoiar reforma do FMI

  • Por Agencia EFE
  • 22/02/2014 23h22

Sydney (Austrália), 23 fev (EFE).- O governador do Banco Central da Índia, Raghuram Rajan, criticou o Congresso americano por não respaldar a reforma do Fundo Monetário Internacional (FMI) para aumentar a participação dos países emergentes no organismo, publicou neste domingo a imprensa local.

“Com o tempo, se o FMI não tiver a legitimidade entre os países emergentes devido a uma falta de progresso neste tipo de assunto, se ocorrerá um afastamento”, alertou o economista, que participa este fim de semana da reunião ministerial do Grupo dos Vinte (G20) na Austrália.

O economista pediu aos países mais desenvolvidos do G20 para prestar atenção à vulnerabilidade de certas economias à redução dos estímulos monetários iniciada pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano), segundo o jornal “Financial Review Sunday”.

“Não acho que possamos avançar dizendo que todos estamos no mesmo barco e que eles afundarão ou nadarão sozinhos”, disse ao jornal financeiro o alto funcionário indiano, conhecido por prever a crise global e um dos mais críticos à retirada dos estímulos à economia por parte do Fed.

Países como Indonésia, Turquia e África do Sul experimentaram uma desvalorização de suas moedas com a forte saída de capitais de seus mercados por causa da retirada do estímulo monetário americano.

Rajan enfatizou que embora a Índia esteja bem posicionada para enfrentar à turbulência, os países industrializados devem reconhecer o impacto que têm as decisões em matéria de política monetária nas nações emergentes, assim como a estar “preparados para atuar” em caso que a situação se recrudesça. EFE

wat/ma