Inflação indica mais aperto para o consumidor no ano que vem, segundo ex-diretor do BC

  • Por Jovem Pan
  • 27/08/2014 10h26

A inflação no último ano do governo Dilma sinalizou mais aperto para o consumidor em 2015, avalia ex-diretor do Banco Central. Gustavo Loyola afirmou à Renata Perobelli que a retração nas compras já é provocada pelos aumentos de tarifas de serviços básicos.

O presidente do Grupo Boticário refez as contas e prevê crescimento bem menor neste ano, se o segundo semestre for um pouco melhor. Arthur Grynbaum assinalou que o último ano do Governo Lula e os quatro do governo Dilma foram os piores enfrentados pelo Brasil em três décadas.

*Ouça os detalhes no áudio

A retração no consumo se explica pelas incertezas em relação à política antiinflacionária do Governo, afirma ex-presidente do Banco Central. Gustavo Franco disse que as pesquisas sobre a confiança dos brasileiros na economia explicam o freio na disposição para gastar.

Franco enfatizou ainda que o índice médio de 6,5% de inflação oficial nem sempre reflete a realidade individual de cada consumidor. Há muitos casos em que o custo de vida é muito maior, dependendo da cesta básica das pessoas e até do lugar em que elas moram.