Inflação oficial desacelera e fecha fevereiro em 0,90%; acumulado em 12 meses é de 10,36%

  • Por JP com Agência Estado
  • 09/03/2016 10h18
Economia

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou fevereiro com alta de 0,90%, ante uma variação de 1,27% em janeiro, informou na manhã desta quarta-feira, 9, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com o resultado, a taxa no ano ficou em 2,18%. O IPCA acumulado em 12 meses foi de 10,36%, muito acima do teto da meta estipulada pelo governo, de 6,5%.

Educação puxa alta

Os reajustes escolares característicos dessa época do ano impactaram a inflação oficial de fevereiro, conforme já era esperado. A alta no grupo Educação foi de 5,90% no último mês, maior variação de grupo dentro do IPCA, informa também o IBGE.

As mensalidades dos cursos regulares subiram 7,43%, tornando-se o item de maior contribuição para o IPCA do mês, o equivalente a 0,21 ponto porcentual.

Apenas Fortaleza não apresentou aumento, em virtude da diferença na data de reajuste. Nas demais regiões, as variações dos cursos regulares ficaram entre os 3,99% registrados na região metropolitana do Recife e os 10,88% verificados do Rio de Janeiro. As mensalidades dos cursos diversos – que incluem idioma, informática, etc. – subiram 5,53% em fevereiro.

Alimentação

O ritmo de aumento nos gastos das famílias com alimentação e bebidas desacelerou na passagem de janeiro para fevereiro, de 2,28% para 1,06%.

Os produtos que tiveram as altas mais consideráveis em fevereiro foram a cenoura (23,79%) e a farinha de mandioca (11,40%). Na direção oposta, ficaram mais baratos o tomate (-12,63%) e a batata inglesa (-5,70%).

Apesar da desaceleração o grupo Alimentação e bebidas foi um dos maiores responsáveis pela inflação de fevereiro, com contribuição de 0,27 ponto porcentual, assim como o grupo Educação, cuja alta de 5,90% no último mês também resultou num impacto de 0,27 ponto porcentual sobre o IPCA.

Juntos, os grupos Alimentação e Educação foram responsáveis por 60% da taxa do IPCA de fevereiro, o equivalente a uma contribuição de 0,54 ponto porcentual para o resultado de 0,90% da inflação no mês.

Preços ao consumidor

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu 0,95% em fevereiro, após ter registrado alta de 1,51% em janeiro, segundo dados do IBGE. Com o resultado, o índice acumulou uma alta de 2,47% nos dois primeiros meses de 2016. No acumulado em 12 meses, a taxa ficou em 11,08%. Em fevereiro de 2015, o INPC tinha sido de 1,16%.

O INPC mede a variação dos preços para as famílias com renda de um a cinco salários mínimos e chefiadas por assalariados.

Construção civil

O Índice Nacional da Construção Civil (INCC/Sinapi), também divulgado nesta manhã pelo IBGE, variou 0,84% em fevereiro, após uma alta de 0,55% em janeiro. O índice acumulado no ano foi de 1,39%. Em 12 meses, a taxa foi de 6,55%.

De acordo com o IBGE, o custo nacional da construção alcançou R$ 976,82 por metro quadrado em fevereiro, acima dos R$ 968,70 por metro quadrado estimados em janeiro. A parcela dos materiais variou 1,04%, enquanto o custo da mão de obra ficou em 0,60% em fevereiro, ante 0,72% em janeiro.