Inflação oficial desacelera em abril, mas consumidores não sentem no bolso

  • Por Jovem Pan
  • 12/05/2014 08h51

A inflação oficial desacelera em abril, mas consumidores ainda não sentem no bolso o recuo dos dos preços apontado pelo IPCA. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo subiu 0,67% após alta de 0,92% em março.

O grupo dos alimentos continuou apontando a mais alta variação dentro do indicador e representou o maior impacto na composição do índice. Os consumidores ouvidos pelo repórter Tiago Muniz ressaltaram que ir às compras continua difícil e que a desaceleração ainda não é sentida.

*Ouça os detalhes no áudio

O economista Miguel Daoud afirmou que a sensação de inflação mais elevada do que o discurso do governo Dilma vem da composição do IPCA. Falando a Paulo Pontes, Miguel Daoud salienta que muitos dos 350 itens do índice – como automóvel e geladeira – não se compra todo dia.

Outro especialista em inflação concordou que ao acompanhar a evolução dos preços de 350 itens, o IPCA confunde os leigos. Mas, Heron do Carmo descartou qualquer mudança na metodologia de cálculo do índice, que já se prepara para completar um século.

O IPCA se refere às famílias com rendimento monetário de um a 40 salários mínimos e abrange dez regiões metropolitanas do país. Porto Alegre, Curitiba e Rio de Janeiro estouraram o teto do intervalo da meta de inflação nos 12 meses do ano até abril.