Inspirado em série de TV, estudante de Direito inova ao divulgar currículo

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2017 14h27
Igor Reis

Em tempos de crise, qualquer tentativa de se sobressair para conseguir um emprego é válida, certo? Pois essa foi a saída de Igor Reis, 23, estudante de Direito da PUC-Goiás para conseguir uma vaga de estágio em um escritório de advocacia em Goiânia (GO) e fugir dos trabalhos mal remunerados.

Na tentativa de “pensar fora da caixa”, e assim fazer com que os escritórios prestassem atenção no seu currículo, Igor inovou e fez uma comparação com a série criminal “How To Get Away With Murder”.

Segundo Igor, a ideia foi inspirada na personagem principal Annalise Keating, interpretada por Viola Davis. “O papel da Viola Davis no seriado retrata uma advogada de sucesso. Desde que eu entrei na graduação eu sabia que meu desejo era formar e advogar. O perfil que ela desenvolve na série de uma advogada renomada e que nunca perde uma ação é o perfil sonhado. Fiz essa associação com o personagem dela e deu nessa repercussão”, disse à Jovem Pan Online.

No seriado, disponível na Netflix e no canal Sony, estudantes de Direito trabalham com a reconhecida advogada de defesa e professora de Direito na fictícia (porém renomada) Universidade Middleton, na Filadélfia, nos Estados Unidos.

Apesar de admirar a figura de Annalise Keating, Igor afirma, no entanto, que a história do seriado não tem muito a ver com o que ele procura profissionalmente e relatou as complicações de atuar na área penal no Brasil. “Fiz a associação em termos de ser um advogado reconhecido e bom no que faz. Acho que a área penal no Brasil é bastante complicada de se atuar mediante a crise no sistema carcerário e a não ressocialização que o sistema promove. Advogado tem que ter preparação não só profissional, mas pessoal para atuar nessa área. Eu me atraio por outras áreas do Direito”, afirmou.

O estudante, que acompanha a série desde a sua primeira temporada, decidiu então chamar atenção mais criativo – e deu no que deu: em dois dias, mais de seis mil curtidas e centenas de compartilhamentos no Facebook.

Mas já teve algum retorno? Segundo o estudante (e futuro estagiário de algum escritório de advocacia, se tudo der certo), sim!

“Retorno eu tive, mas ainda não consegui um estágio. Consegui duas entrevistas para essa semana e alguns advogados e estagiários entraram em contato comigo, falaram que não tinham condições no momento de contratar, mas pediram meu currículo para passar nos demais escritórios, caso algum colega deles venha a precisar de estagiário para entrar em contato comigo”, contou.

E a montagem nas redes sociais vem rendendo mais que um simples envio de currículo. “Está sendo muito mais efetivo que um currículo comum. Na semana passada andei pela minha cidade e entrei de escritório em escritório entregando currículo. Cheguei a mandar mais de 50 e-mails e não tive resposta nem de cinco. Isso estava me deixando bastante desmotivado. Agora não estou pedindo estágio sozinho”.

Se a vaga de estágio ainda não veio, uma coisa Igor tira de bom da situação, que é o relacionamento com profissionais da área.

“Eu estou achando isso super legal. Antes eu estava sozinho procurando estágio. Hoje eu já tenho professores que entraram em contato comigo pra me ajudar, membros da comissão da OAB da minha cidade e do estado entraram em contato comigo por email me convidando para as comissões e subcomissões da OAB para conhecer advogados e conseguir chegar a esse meu objetivo. Antes era uma pessoa, agora já perdi as contas de quantas pessoas estão nessa campanha para me ajudar. E isso está sendo bastante gratificante”, finalizou.