Investigador que alertou sobre suposto “salve” do PCC será afastado

  • Por Estadão Conteúdo
  • 16/01/2017 12h58
São Paulo- SP- Brasil- 16/05/2016- O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta segunda-feira (16) a escolha do procurador de Justiça Mágino Alves Barbosa Filho para ser o novo secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Ele substituirá Alexandre de Moraes, que assumiu o ministério de Justiça e Cidadania. "O Dr. Mágino tem grande experiência na área criminal. Ele dará continuidade ao trabalho desenvolvido pelo dr. Alexandre em benefício do nosso Estado", declarou o governador. Foto: GESPMágino Alves Barbosa Filho - DIV

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Mágino Alves, afirmou nesta segunda-feira (16), que vai afastar o policial responsável por emitir um comunicado sobre um suposto “salve” do Primeiro Comando da Capital (PCC). O investigador teria falhado na apuração e emitido um alerta falso, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Na sexta-feira (13), a Seccional de Araraquara, no interior, emitiu uma mensagem para todas as delegacias de São Paulo, sobre um possível ataque do PCC nesta terça-feira (17). A informação teria sido levantada pelo Centro de Inteligência da unidade.

“Os membros do PCC (Primeiro Comando da Capital) dão conta de que armas de fogo foram distribuídas aos integrantes da facção para possíveis ataques”, diz o alerta. “Consta que no próximo dia 17 de janeiro o comando do PCC irá ordenar aos executores o tipo de ataque e o local onde cada um terá que agir.”

Nesta segunda-feira, Mágino Alves confirmou a veracidade do documento, mas afirmou que o conteúdo está equivocado. Segundo ele, o responsável errou na investigação e na forma de emitir o alerta. Ele será afastado, uma vez que “não teria aptidão” para o cargo, e ocupará outra função na Polícia Civil. O secretário destacou que o agente não será exonerado. 

“O monitoramento realizado tanto pela SSP quanto pela SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) não indica esse risco. Aquilo que está sendo difundido na internet é um informe de inteligência que precisa ser demonstrado e não tem a menor procedência”, afirmou Alves. “O alerta está errado. Aquilo é muito estranho. Quem emitiu aquele alerta é alguém que não sabe trabalhar com Inteligência.”

Alves afirmou, ainda, que verificou a situação em todo o Estado e não detectou “nada que justifique este temor que este falso alerta está provocando”. “Não falei e nem vou falar com ele (investigador). Nem sei o nome dele. Acho que não pode continuar na inteligência, pois é um trabalho que é feito não de maneira escancarada.”

O afastamento do servidor foi anunciado pelo secretário em evento ao lado do governador Geraldo Alckmin (PSDB), no Palácio dos Bandeirantes, para entrega de 523 novas motocicletas e 50 carros para a Polícia Militar.