Irã executa dez réus por narcotráfico

  • Por Agencia EFE
  • 18/05/2014 12h34

Teerã, 18 mai (EFE).- Dez réus condenados à morte no Irã por narcotráfico foram enforcados na prisão central da província de Kerman, no sudeste do país, informou neste domingo a agência de notícias “Fars”, próxima dos Guardiões da Revolução.

A fonte não precisou a data das execuções, embora tenha dado detalhes sobre as vítimas e seus delitos.

Um dos condenados, identificado como H.A., foi condenado à pena capital por vender 400 quilos de heroína e outros quase quatro de crack e por participar do transporte de outros 300 quilos de heroína, enquanto outro dos executados, com iniciais K.Sh., participou do transporte de cerca de 50 quilos de crack e 300 de heroína.

Os demais condenados também foram executados por delitos relacionados com o narcotráfico.

O Irã compartilha 936 quilômetros de fronteira com o Afeganistão, o principal produtor do mundo de papoula branca, da qual se extrai o ópio com o qual são elaboradas a heroína e morfina, muita da qual entra no país também através dos 700 quilômetros de fronteira com o Paquistão.

Segundo dados do governo iraniano e a ONU, o Irã é o país que maior quantidade de opiáceos confisca no mundo, com 41% do total.

As sentenças no Irã por tráfico de drogas são muito duras e é comum que seja imposta a pena de morte.

Segundo o Centro de Documentação de Direitos Humanos do Irã, uma organização com sede nos Estados Unidos, em 2013 foram executadas no país 624 pessoas e, em 2014, já foram executadas mais de 100, a maioria por delitos de narcotráfico.

Por outro lado, as autoridades iranianas sustentam que nos últimos 34 anos mais de quatro mil agentes da Polícia perderam a vida no país na luta contra o narcotráfico. EFE