Islamofobia pode aumentar depois de atentados na França, diz especialista

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2015 13h31

Com um domingo (11) histórico – em que quase 4 milhões de pessoas foram às ruas na França pela liberdade de expressão -, a questão levantada passada a euforia do momento é o crescimento do sentimento anti-islã a partir dos atentados da semana passada.

O professor de relações internacionais da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) Reginaldo Nasser disse nesta segunda-feira (12), no Jornal da Manhã, que é preciso fazer duas leituras desse cenário.

“A primeira a presença dos líderes políticos, líderes governamentais, que estão ali fazendo seu papel, têm sua responsabilidade diante dos cidadãos. O outro é a movimentação da sociedade. Eu acho que esse é o mais importante, o mais real, mais duradouro”, explicou.

Ainda de acordo com ele, é preciso ter atenção sobre o que vem após o calor do momento. Nasser lembrou como foram os momentos seguintes aos atentados de 11 de Setembro e de Londres em 2005.

Questionado sobre o crescimento da “islamofobia”, o especialista explicou que existe, sim, a possibilidade de a repulsa pode aumentar. “(…) Como nós vimos depois do 11 de Setembro, as ações contra o terrorismo dos Estados Unidos só fizeram aumentar o terrorismo no mundo”, revelou.

Ouça a entrevista completa no áudio com os âncoras JOVEM PAN Thiago Uberreich, Rachel Sheherazade e Marco Antonio Villa.