Itamaraty revisa para baixo número de brasileiros no Nepal durante terremoto

  • Por Agência Brasil
  • 29/04/2015 21h00
26/04: 25h após terremotoTerremoto sacode Nepal e deixa danos; veja imagens

O Ministério das Relações Exteriores (MRE) atualizou o número estimado de brasileiros no Nepal no momento do terremoto que atingiu o país no sábado (25), matando mais de 5 mil pessoas e deixando 10 mil feridos. A estimativa anterior, de 220 brasileiros, foi revisada para 216, após identificação de quatro cidadãos contados duplamente por diferenças nos sobrenomes informados ao Itamaraty por parentes e conhecidos.

O número de brasileiros contatados desde o terremoto subiu de 194 para 203, restando 13 sem informações. O MRE afirmou hoje (29) que segue sem informações sobre brasileiros entre os mortos. Apenas três ficaram feridos, um deles com a perna quebrada, que já recebeu atendimento médico e passa bem. Os outros dois tiveram ferimentos leves.

Desde o tremor de terra, o Núcleo de Assistência a Brasileiros do Itamaraty tem funcionado 24 horas, acompanhando em tempo real a situação dos brasileiros no Nepal e mantendo contato direto com as famílias no Brasil.

A Embaixada do Brasil em Katmandu montou um centro de atendimento a brasileiros no aeroporto da cidade, que também funciona 24 horas, assim como outro centro montado no aeroporto de Nova Déli, principal rota de saída do Nepal. Os brasileiros retirados do Nepal podem conseguir gratuitamente o visto no aeroporto da Índia.

Os brasileiros que procuram a embaixada em Katmandu também podem usar computadores para comprar passagens e manter contato com parentes no Brasil. O portal consular do Itamaraty é atualizado diariamente com informações completas sobre atendimento a brasileiros no Nepal e a parentes no Brasil.

A Organização das Nações Unidas (ONU) fez hoje um apelo à comunidade internacional para arrecadar 44,8 milhões de euros como auxílio humanitário ao Nepal. A organização estima que 1,7 milhão de crianças precisam de ajuda urgente por causa das consequências do terremoto. O tremor, o mais devastador dos últimos 80 anos na região, destruiu vários edifícios históricos e atingiu a infraestrutura básica do país.