Jordaniano que lutou com o EI na Síria é condenado à prisão

  • Por Agencia EFE
  • 17/09/2014 01h59

Amã, 15 set (EFE).- O Tribunal da Segurança do Estado da Jordânia condenou nesta segunda-feira um jordaniano a cinco anos de prisão com trabalhos forçados por lutar com o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) na Síria, informou a agência oficial de notícias “Petra”.

O condenado, Maydi Abu Nagm, lutou junto com diferentes grupos da oposição síria, incluído o EI, contra o regime de Bashar al Assad.

Foi condenado por um júri civil da citada corte por deixar a Jordânia e lutar com essas facções na Síria, segundo a “Petra”, que acrescentou que o homem retornou a seu país e permaneceu nele nos últimos dez meses antes de ser detido.

As autoridades jordanianas detiveram nos últimos meses alguns supostos jihadistas que tinham viajado à Síria para participar da guerra ao lado dos grupos extremistas.

Os países árabes – entre eles a Jordânia – mostraram sua intenção de tomar ações conjuntas para combater o terrorismo na região diante do avanço do Estado Islâmico na Síria e no Iraque, e dez deles se uniram recentemente à coalizão internacional promovida pelos Estados Unidos para enfrentar esse problema.