Julho de 2015 foi o mês mais quente da Terra, segundo agência americana

  • Por Agencia EFE
  • 20/08/2015 21h20

Miami, 20 ago (EFE).- O último mês de julho foi o mais quente na Terra desde que os registros começaram a ser feitos, em 1880, conforme informou nesta quinta-feira a Agência Nacional de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos (NOAA, sigla em inglês).

Segundo a entidade, a temperatura média em nível planetário alcançou em julho os 16,61 graus, o que supera o registro de 1998 em 0,08 graus.

“Esse recorde nos mostra que a Terra continua aquecendo”, explicou à Agência Efe Jessica Blunden, especialista em clima da NOAA, que alertou sobre as consequências que essa elevação na temperatura terá no aumento do nível do mar e no derretimento das geleiras, entre outros.

Segundo o relatório da NOAA, a temperatura média global de julho, tanto na superfície terrestre como na oceânica, foi de 0,81 graus, acima da média do século XX.

Blunden explicou que as atuais condições do fenômeno climático El Niño “estão realçando o efeito do aquecimento global que vemos com o passar do tempo”.

A especialista da NOAA esclareceu que é importante levar em conta que as temperaturas “são só uma parte da história” e que a população mundial já presencia as mudanças causadas por esse aumento.

“Vimos recentemente um recorde de temperatura no oceano, recorde no aumento dos níveis do mar e recorde no degelo das geleiras de todo o mundo”, precisou Blunden.

Blunden afirmou que são cada vez “mais severas” as condições meteorológicas extremas como “secas, ondas de calor e inundações” e enfatizou que nestes incidentes é possível observar os “inúmeros” impactos que das altas temperaturas “na população e nos ecossistemas de todo o mundo”.

Segundo o relatório da NOAA, nove dos dez meses mais quentes ocorreram desde 2005, e os primeiros sete meses de 2015 são o período mais quente de janeiro a julho desde que se têm registros.

Cientistas acreditam ser muito provável que este ano termine como o mais quente da história, superando 2014. Segundo o órgão, a temperatura média durante julho nos Estados Unidos, sem incluir Alasca e Havaí, foi de 23,2 graus, 0,11 graus acima da média do século XX. EFE