Justiça do Rio determina recolhimento de imagens de Bangu 8

  • Por Agência Brasil
  • 24/03/2017 16h58
BRA01. RÍO DE JANEIRO (BRASIL), 18/11/2016.- Fotografía cedida por la Secretaría de Administración Penitenciaria (SEAP) hoy, 18 de noviembre de 2016, del exgobernador de Río de Janeiro Sergio Cabral, quien fue detenido el jueves, acusado de corrupción por el cobro de comisiones ilegales que, al menos, alcanzan los 66 millones de dólares. Anthony Garotinho y Sergio Cabral, dos de los gobernadores que ha tenido Río de Janeiro en los últimos quince años, amanecieron hoy tras las rejas, tras ser detenidos esta semana por diferentes asuntos de corrupción. EFE/Secretaría de Administración Penitenciaria (SEAP)/SOLO USO EDITORIAL/NO VENTAS/NO ARCHIVO/MÁXIMA CALIDAD DISPONIBLEEx-governador Sérgio Cabral é fichado na Penitenciária de Bangu

O juiz Guilherme Schilling Duarte, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) determinou ao governo do estado o recolhimento de imagens do sistema de segurança da Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira (Bangu 8), no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na  capital fluminense.

O pedido foi feito após a verificação por  uma equipe de fiscalização da VEP, em visitas regulares, que algumas câmeras da unidade não funcionavam. De acordo com o TJRJ, durante inspeção ralizada no último dia 9, para apurar um desentendimento entre dois presos, um agente penitenciário informou falhas no sistema. Segundo ele, por um certo período, uma das câmeras não funcionou. Além disso, afirmou que quatro das 16 câmeras estão sem registrar as imagens..

É em Bangu 8 que estão presos o ex-governador Sérgio Cabral e a maioria dos envolvidos na operação Calicute, uma das fases da Lava Jato no Rio.

O TJRJ informou, ainda, que ontem, ao cumprir a ordem de busca e apreensão dos equipamentos de armazenamento de imagens, a equipe da VEP notou que outras três câmeras também estavam fora de operação. Por isso, o juiz vai analisar o HD (disco rígido, onde ficam armazenados os dados) do equipamento para verificar se há imagens que possam mostrar possíveis irregularidades no presídio.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária informou que vai aguardar o recebimento do relatório da VEP para se pronunciar sobre a vistoria.