Justiça francesa suspende votação para afastar Jean-Marie Le Pen de partido

  • Por Agencia EFE
  • 08/07/2015 13h10

Paris, 8 jul (EFE).- O tribunal de Nanterre (junto a Paris) decidiu nesta quarta-feira pela suspensão do congresso do partido de extrema-direita Frente Nacional (FN), com o qual essa formação francesa pretendia suprimir o status de “presidente de honra” do cofundador do partido, Jean-Marie Le Pen.

A decisão judicial obriga ao FN a suspender o congresso por correspondência no qual seus militantes foram chamados a aprovar por correio até 10 de julho os novos estatutos do partido e também a validar que seja retirado o título de honra do octogenário ultranacionalista.

“Sempre briguei contra a injustiça, inclusive quando é contra mim”, declarou Jean-Marie Le Pen aos meios de comunicação após conhecer a decisão, a segunda a favor dele em menos de uma semana.

O cofundador da FN e presidente do partido durante quatro décadas está em uma situação de guerra aberta contra sua filha Marine le Pen, sucessora à frente da formação desde 2011.

Le Pen assegurou que sua filha e os comandantes do partido lançaram “uma caça às bruxas” similar a uma “onda de depuração” contra ele e contra seus próximos.

A sentença foi revelada depois que no último dia 2, o Tribunal de Grande Instância de Nanterre decidiu também a favor de Le Pen, de 87 anos, que recorreu à justiça depois que o partido retirasse sua condição de militante.

A direção da Frente Nacional decidiu excluí-lo em maio, após declarações nas quais Le Pen considerou as câmaras de gás da Alemanha nazista como um “detalhe” da história. EFE