Justiça torna preventiva prisão de PMs envolvidos em morte de cinco jovens

  • Por Agência Brasil
  • 01/12/2015 18h12
RIO DE JANEIRO,RJ,29.11.2015:MORTE JOVENS-COMUNIDADE COSTA BARROS - Um grupo de cinco jovens foi morto nas proximidades da Estrada João Paulo, em Costa Barros, Subúrbio do Rio de Janeiro, RJ, na madrugada deste domingo (29). Os amigos de infância tinham acabado de voltar do Parque de Madureira e iam lanchar na comunidade, quando o carro em que eles estavam foi alvo de inúmeros disparos de PMs. (Foto: jose lucena/Futura Press/Folhapress)Jovens são mortos dentro de carro

A prisão em flagrante dos quatro policiais militares (PMs) envolvidos nas mortes de cinco jovens de 16 a 25 anos, na noite de sábado (28), em Costa Barros, zona norte do Rio, foi convertida em preventiva. A decisão é do juiz do Plantão Judiciário, Sandro Pitthan Espíndola.

No domingo (29), os policiais militares Thiago Resende Viana Barbosa, Márcio Darcy Alves dos Santos e Antônio Carlos Gonçalves Filho foram presos em flagrante por homicídio doloso (quando há intenção de matar) e fraude processual. Já o policial Fábio Pizza Oliveira da Silva foi preso por fraude processual. Todos eram lotados no 41º Batalhão de Polícia Militar (Irajá) e foram levados para o Batalhão Especial Prisional (BEP) da PM, em Niterói, região metropolitana do Rio.

Fuzilamento

 

Os jovens Roberto de Souza Penha, 16 anos, Carlos Eduardo da Silva de Souza, 16 anos, Cleiton Correa de Souza, 18 anos, Wilton Esteves Domingos Junior, 20 anos e Wesley Castro Rodrigues, 25 anos, tinham passado o sábado no Parque Madureira, na zona norte. Segundo o pai de Roberto, o soldador Jorge Roberto Lima da Penha, de 48 anos, desde crianças, os rapazes eram vizinhos na Comunidade da Lagartixa, em Costa Barros, e costumavam se divertir no parque.

No sábado, foram comemorar o primeiro emprego de Roberto. Depois de saírem o parque resolveram fazer um lanche. O carro em que estavam, um Pálio branco, foi alvejado por mais de 50 disparos na Via José Arantes de Melo, que fica na entrada da comunidade, e os jovens foram mortos.

Apoio às famílias

De acordo com a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), as despesas dos sepultamentos dos jovens serão pagas pelo governo do estado, que vai prestar também assessoramento aos parentes dos rapazes mortos em Costa Barros, junto à Defensoria Pública, para a condução do processo de reparação de danos. Uma equipe da Subsecretaria de Defesa e Promoção dos Direitos Humanos da SEASDH está em contato com as famílias.

A SEASDH vai dar também apoio psicossocial aos parentes e será marcado para os próximos dias um encontro da equipe multidisciplinar com as famílias para definir como será feito o acompanhamento.