Kerry se reunirá domingo em Paris com comissão árabe para a paz

  • Por Agencia EFE
  • 06/01/2014 14h59

Cairo, 6 jan (EFE).- O secretário de Estado americano, John Kerry, se reunirá no domingo em Paris com a comissão árabe para a paz no Oriente Médio, com quem discutirá a iniciativa de impulsionar as negociações entre Israel e Palestina, informou nesta segunda-feira o secretário-geral da Liga Árabe, Nabil al Arabi.

A comissão árabe – integrada pelos titulares das Relações Exteriores de Egito, Arábia Saudita, Jordânia, Catar e da Autoridade Nacional Palestina (ANP), além do secretário-geral da Liga Árabe – foi estabelecida na cúpula árabe realizada em março de 2013 em Doha e pretende acompanhar as negociações entre palestinos e israelenses.

Arabi assinalou em entrevista coletiva que Kerry explicará nessa reunião os resultados das consultas com os responsáveis das duas partes, com quem estes dias abordou seu “acordo marco”, que propôs como base para solucionar o conflito. E que a delegação árabe discutirá com Kerry as reivindicações palestinas.

Arabi disse que hoje recebeu uma carta do presidente da ANP, Mahmoud Abbas, que insistiu na necessidade de Israel se retirar de todos os territórios ocupados após 1967, a volta dos refugiados e o estabelecimento do Estado palestino com capital em Jerusalém Oriental.

Com o “acordo marco”, o chefe da diplomacia americana pretende garantir o diálogo que começou em julho e manter as partes na mesa de negociações além do prazo original de nove meses, que termina em abril.

Este documento, que nem sequer teria que ser assinado, aborda as questões mais importantes no litígio entre israelenses e palestinos, como a delimitação de fronteiras, os mecanismos de segurança, a divisão de Jerusalém e o problema dos refugiados palestinos.

Já Arabi assinalou que, de acordo com um telefonema que trocou com Kerry hoje, a conferência de paz de Genebra 2, que pretende pôr fim à crise síria, se realizará na data prevista, dia 22.

E acrescentou que a Coalizão Nacional Síria (CNFROS), o maior grupo opositor, participará desta reunião.

Genebra 2 foi adiada em várias ocasiões, a última em novembro para dar mais tempo de efetuar consultas diante das reservas que a oposição tinha para participar. EFE