Kiribati pede firme declaração do Pacífico contra mudança climática

  • Por Agencia EFE
  • 03/09/2015 16h39

Sydney (Austrália), 3 set (EFE).- O presidente de Kiribati, Anote Tong, pediu ao Fórum de Desenvolvimento das Ilhas do Pacífico, que se reúne em Fiji esta semana, para emitir uma firme declaração conjunta a fim de pedir às potências mundiais que contenham a mudança climática, informou nesta quinta-feira a imprensa local.

“Não sei qual é o problema desses países para ter um discurso firme. Há um grande problema e, se não temos um discurso firme, não teremos uma ação imediata”, declarou o governante de Kiribati, um pequeno país insulano do Pacífico sul e um dos mais afetados pela mudança climática.

Tong se reúne em Suva com seus colegas da região até esta quinta-feira, dia no qual será emitida a declaração da reunião regional, com ênfase na 21ª Conferência das Nações Unidas sobre a Mudança Climática (COP21), que será realizada em Paris do dia 30 de novembro a 11 de dezembro, segundo a agência “Scoop” da Nova Zelândia.

Na véspera, o ministro das Relações Exteriores do Cazaquistão, Erlan Idrissov, que participa em qualidade de convidado, disse no Fórum que “sem uma ação determinada e coordenada em nível nacional, regional e global para enfrentar a mudança climática e construir economias sustentáveis, todo nosso futuro está ameaçado”.

Idrissov fez um apelo a favor de “novo acordo universal e ambicioso sob a Convenção Marco das Nações Unidas sobre a Mudança Climática”, segundo fontes oficiais.

Participam da terceira cúpula em Suva líderes ou representantes de Fiji, Nauru, Kiribati, Tonga, Tuvalu, Ilhas Salomão, Tokelau, Ilhas Marshall e Papua Nova Guiné.

A reunião tem como convidado o vice-primeiro-ministro da Tailândia, Thansak Patimapragorn, e conta com delegações de Cazaquistão, Indonésia, Nova Zelândia, Reino Unido, Bélgica, Cingapura, Kuwait, Israel, Holanda, Venezuela, Chile e Filipinas.

Este fórum foi criado em 2013 pelo primeiro-ministro de Fiji, Frank Bainimarama, depois de o país ter sua filiação suspensa do Fórum das Ilhas do Pacífico por causa da demora em 2009 da realização de eleições, após o golpe de estado realizado pelo atual líder.

O Fórum das Ilhas do Pacífico, que retirou a suspensão a Fiji após as eleições de setembro de 2014, realizará sua reunião em Papua Nova Guiné entre os dias 8 e 10 de setembro. EFE