Lula critica projetos de terceirização e maioridade penal e pede que povo tenha paciência com Dilma

  • Por Jovem Pan
  • 01/05/2015 16h14
SÃO PAULO, SP, 01.05.2015: DIA-TRABALHO - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em ato da CUT (Centros Única dos Trabalhadores) e centrais sindicais no Vale do Anhangabaú, no centro de São Paulo, nesta sexta-feira (1º), em comemoração ao Dia do Trabalho. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)Lula durante discurso no dia primeiro de maio

Em festa do Dia do Trabalhador realizada pela CUT nesta sexta-feira (01), no Vale do Anhangabaú, o ex-presidente Lula atacou o projetos como o da terceirização e da redução da maioridade penal.

Para Lula, o projeto de terceirização, se aprovado, pode significar a redução de cerca de 800 mil empregos. Em relação ao projeto que propõe a redução da maioridade penal, o ex-presidente destacou o risco que isso pode se tornar para o país, caso venha a ser aprovado.

Durante o discurso, Lula ainda criticou a festa da Força Sindical e disse que não pode participar de festas onde são distribuídos prêmios. Segundo ele, atos políticos não podem ser confundidos com sorteios e entregas de prêmios.

Ele ainda dirigiu-se aos jornalistas e criticou a imprensa brasileira, a qual ele disse estar fazendo “insinuações” contra seu nome. Lula disse que vem sendo “provocado” após notícia de que o Ministério Público do Distrito Federal abriu uma investigação contra ele por tráfico de influência internacional.

De acordo com reportagem da revista Época, o petista continuou usando a influência e o prestígio político que adquiriu nos oito anos na presidência do país para favorecer grandes empreiteiras brasileiras em negociações com governos estrangeiros, entre eles países da América Latina e África.

Ao final, o ex-presidente destacou que fará viagens pelo Brasil para conversar com o povo e com empresários e declarou não ter nenhuma intenção de lançar-se como candidato a qualquer cargo. O antecessor de Dilma Rousseff ainda pediu que o povo tenha paciência com a atual presidente e que mais para frente, a população comemorará os avanços do Governo.