Maior parte do território brasileiro foi conquistado graças à diplomacia, conta Rubens Ricupero

  • Por Jovem Pan
  • 28/09/2017 17h56
DivulgaçãoEmbaixador do Brasil em cidades como Genebra, Washington e Roma, Ricupero explicou como geralmente começam as diplomacia nos países

Ex-ministro da Fazenda e do Meio Ambiente e Amazônia, embaixador, diplomata…são várias as funções e cargos que o convidado do programa Perguntar Não Ofende desta semana, Rubens Ricupero, desempenhou ao longo de sua vida. Depois de tudo isso, ainda arrumou tempo para ser escritor e é o criador da obra “A diplomacia na construção do Brasil”.

Embaixador do Brasil em cidades como Genebra, Washington e Roma, ele explicou como geralmente começam as diplomacias nos países.

“A maioria das histórias diplomáticas começam com a independência. E antes disso, você pode ter decisões no país, mas que não são do país. Por exemplo, quando Dom João VI estava no Rio de Janeiro, o império português era governado a partir do Rio de Janeiro. Mas as decisões eram tomadas em função dos interesses portugueses e da dinastia. Não dos interesses brasileiros. Tanto que nenhum brasileiro fazia parte do governo”, contou.

“O próprio José Bonifácio, que era um homem eminente em Coimbra, quando a gente vem pro Brasil, ele diz: ‘se eu fosse fidalgo de polpa e se não tivesse nascido no Brasil, eu poderia prestar alguns serviços como capitão geral à minha província, que era São Paulo. Ele sabia que não poderia porque não era nem fidalgo de polpa e nem tinha nascido em Portugal”, completou o embaixador.

Ricupero revelou ainda uma grande admiração do trabalho como diplomata do Barão de Rio Branco. Segundo ele, o conhecimento e estudo do Barão eram características que chamavam a sua atenção e destacou a importância da diplomacia para o País.

“As guerras em que o Brasil esteve envolvido, do Prata, do Paraguai, foram guerra penosíssimas. A guerra do Paraguai durou seis anos. Quando começou a guerra, o Brasil tinha um exército que tinha aproximadamente 15 mil homens apenas. A marinha era melhor, mas o Brasil era um País militarmente fraco, economicamente dependente da exportação de café, não tinha grande coisa. Então, o que deu ao Brasil território, foi a diplomacia.”

“Se não fosse a diplomacia, o Brasil hoje não seria membro dos Brics. Porque teria apenas 1/3 do território atual. Você pra ser membro dos Brics tem que ser uma nação continental. E tudo foi conseguido na base da diplomacia”, explicou Ricupero.

Confira abaixo a entrevista completa de Augusto Nunes com Rubens Ricupero.