Mais de 38 mil haitianos entraram no Brasil ilegalmente, diz relatório

  • Por Jovem Pan
  • 23/05/2015 11h59
SÃO PAULO,SP,20.05.2015:HAITIANOS-SP - Movimentação de haitianos refugiados na Paróquia da Paz (Missão Paz), no Glicério, região central de São Paulo (SP), na manhã desta quarta-feira (20). O governo do Acre voltou a enviar ônibus com imigrantes haitianos para São Paulo após quatro meses. Em entrevista à CBN, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad disse que faltou comunicação com governo federal sobre chegada de haitianos. Cerca de mil haitianos devem desembarcar na capital paulista nos próximos dias. (Foto: André Lucas Almeida/Futura Press/Folhapress) Folhapress Cerca de mil haitianos devem desembarcar na capital paulista nos próximos dias

Estudo divulgado pela Agência Brasileira de Inteligência, a Abin, apresentado em reunião no Palácio do Planalto na última quinta-feira (21) mostra que pelo menos 38 mil haitianos cruzaram ilegalmente as fronteiras para o Brasil pelo Acre. O relatório ainda calcula que a rede de “coiotes”, os responsáveis por essa travessia, teria lucrado US$60 milhões.

Nas próximas semanas, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, iniciará negociações com Equador, Peru e Bolívia para que os países passem a agir em conjunto para evitar essa imigração irregular. Os territórios formam a rota dos haitianos, que atravessam por terra até entrarem pelo estado do Acre. Ao mesmo tempo, o governo inicia ação conjunta com estados e municípios na tentativa de oferecer abrigo os estrangeiros.

Desde 2010 o governo acreano cobra iniciativa da Federação, mas os primeiros rascunhos da ação começaram a ser feitos apenas na reunião realizada na última quinta-feira. Caso providências não sejam tomadas até o final de junho, o governador Tião Viana (PT) anunciou que não oferecerá mais apoio aos imigrantes homens que cheguem ao estado, apenas acolherá mulheres e crianças.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.