Mais de seis mil vazamentos na rede de gás ameaçam a capital dos EUA

  • Por Agencia EFE
  • 22/01/2014 10h26

Jorge A. Bañales.

Washington, 22 jan (EFE).- Nos 177 quilômetros quadrados de Washington DC, uma cidade “antiga” para os padrões dos Estados Unidos, um grupo de pesquisas detectou mais de seis mil vazamentos na rede de gás que poluem o ambiente e podem provocar explosões.

Fundada no final do século XVIII e com uma população agora de mais de 677 mil pessoas, Washington inaugurou sua companhia de gás em 1848 quando a cidade contava com seis mil casas e abrigava cerca de 50 mil habitantes.

Uma característica de Washington, a 24ª cidade do país em população, é a constante renovação: sempre, em várias partes da urbe, há ruas em reparação, bairros históricos demolidos que deixam espaço para condomínios e edifícios de apartamentos e escritórios.

“Percorremos cerca de 2.400 quilômetros de ruas em Washington e encontramos mais de seis mil vazamentos”, disse Robert Jackson, um ecologista e cientista ambientalista da Universidade de Duke. “Isto é quase quatro vezes mais vazamentos por quilômetro do que as detectadas em Boston, Massachussets”.

Jackson e sua equipe percorreram a cidade com instrumentos que identificam o metano por sua estrutura química e a presença de etano e propano nela. Estas formas de gás não se encontram habitualmente no metano biogênico que ocorre pela decomposição de plantas e bactérias.

Em 12 casos a concentração de gás era potencialmente explosiva, disse Jackson, que notificou o perigo à companhia Washington Gas.

“É realmente surpreendente”, disse Jackson, que publicou suas conclusões na revista “Environmental Science and Technology”, que acrescentou “que quatro meses depois de avisar sobre esses vazamentos, nove deles não haviam sido reparados”.

A companhia que presta serviço à população, Washington Gas, assegura que “responde imediatamente a todo aviso de cheiro de gás natural e repara os vazamentos sete dias por semana, 24 horas por dia, os 365 dias do ano”.

“A segurança é a mais alta prioridade para nós”, afirmou Eric Grant, vice-presidente da companhia, em mensagem enviada à Agência Efe.

“Com mais de 13 mil milhas de rede e mais de 940 mil linhas de serviço em nosso sistema, não é realista afirmar que não há vazamentos”, acrescentou.

Grant lembrou, além disso, que o estado de Maryland, ao norte de Washington DC, se uniu recentemente à Virgínia, ao sul, e a outros 34 estados do país “no reconhecimento deste desafio e elaboraram uma lei que permite a substituição acelerada da infraestrutura envelhecida”.

Os especialistas advertem que, além do risco de incêndios e explosões, a presença de concentrações de metano, que chegam em algumas partes da cidade a 90 partes por milhão, são uma ameaça para a saúde ambiental: o metano é 25 vezes mais poderoso que o dióxido de carbono na captura de temperatura na atmosfera.

O mapa da “Environmental Science and Technology”, que localiza os vazamentos encontrados pela equipe de Jackson, mostra uma concentração dessas falhas dos encanamentos no coração geográfico do Distrito de Columbia, ao norte da Casa Branca e ao leste do Capitólio, a sede do Congresso.

O equipamento dos pesquisadores detecta a presença de gás, mas não permite localizar precisamente o escape nos encanamentos, um trabalho que requer uma investigação em toda uma área.

Esses são, precisamente, os bairros que mais mudaram desde o fim da Guerra com o México e especialmente depois da Guerra Civil (1861-65). Inicialmente, a rede de gás alimentou a iluminação pública, uma inovação que substituiu as lâmpadas de óleo e contribuiu para fazer mais vivaz a noite da cidade.

Um terço da rede de distribuição de gás no Distrito de Columbia é feito com encanamentos de ferro forjado e a companhia Washington Gas trabalha para substituir esse material que é propenso a vazamentos.

A Washington Gas serve uma área mais ampla do que o Distrito de Columbia e seu trabalho de substituição de encanamentos implica na instalação de encanamentos de polietileno. Nas áreas onde os encanamentos existentes são de aço, a tarefa compreende a inserção de tubo plástico de diâmetro menor, o que minimiza a necessidade de escavações e os transtornos nos bairros vizinhos e o trânsito.

Enquanto isso, os velhos encanamentos seguem expostos à pressão e aos tremores dos guindastes, das escavadeiras, dos caminhões pesados e da inserção de vigas para alicerces que, permanentemente, modificam a face do Distrito de Columbia. EFE