Malásia dará até três semanas para família de Kim Jong Nam reivindicar corpo

  • Por Estadão Conteúdo
  • 13/03/2017 11h37
MAC931. MACAO (CHINA), 14/02/2017.- Fotografía sin fechar disponible hoy, miércoles 15 de febrero de 2017, que muestra a Kim Jong-nam, el hermano medio del líder norcoreano Kim Jong-un. Kim Jong-nam, el hermano mayor del líder norcoreano Kim Jong-un, fue asesinado el lunes en Malasia, según han revelado fuentes gubernamentales a la agencia surcoreana Yonhap. EFE/Yonhap/PROHIBIDO SU USO EN COREA DEL SURKim Jong-nam - efe

O ministro de Saúde da Malásia disse nesta segunda-feira que o governo dará aos parentes do meio-irmão do líder norte-coreano, Kim Jong Un, tem de duas a três semanas para reivindicar seu corpo antes de decidir o que fazer com ele.

Autoridades da Malásia disseram que Kim Jong Nam morreu depois que duas mulheres o envenenaram com uma substância altamente tóxica no aeroporto de Kuala Lumpur em 13 de fevereiro, cujo ataque é amplamente suspeito de ter sido encomendado pela Coreia do Norte. 

A Coreia do Norte tinha exigido que o corpo voltasse no primeiro dia e se opôs à autópsia. Pyongyang também se recusou a reconhecer que Kim Jong Nam era a vítima e se referiu a ele como Kim Chol, o nome no passaporte que Kim carregava quando foi atacado em um terminal lotado do aeroporto.

Na sexta-feira, a polícia da Malásia confirmou que Kim Chol e Kim Jong Nam eram a mesma pessoa, mas se recusou a dizer como eles identificaram Kim.

“Agora, com a identificação positiva do corpo, somos informados de que ele tinha uma esposa ou esposas e filhos”, disse o ministro da Saúde, Subramaniam Sathasivam. “Esperamos que essas pessoas respondam e venham reivindicar o corpo. Na ausência disso, então vamos abordá-lo ao governo e descobrir como vamos dar o próximo passo”, acrescentou.