Mancha de lama não deve atingir Abrolhos nem costa de Vitória, diz ministra

  • Por Tiago Muniz / Jovem Pan
  • 19/11/2015 12h47
Ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira

A ministra Izabella Teixeira afirmou que a mancha de lama gerada a partir do desastre de Mariana não deve atingir a costa da capital do Espírito Santo, Vitória, e nem o arquipélago de Abrolhos. A titular do meio-ambiente disse que essa estimativa é possível a partir de um modelo matemático elaborado pela Coppe, departamento especializado em engenharia, da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

De acordo com a ministra, o cálculo prevê que os resíduos se espalhem por três quilômetros ao norte e seis quilômetros ao sul da foz do rio Doce. Abrolhos estaria localizado a 250 km da deságua e Vitória, a 120 km. “Mesmo se você multiplicar por dez, e não é isso que está indicado, a lama não vai chegar em Abrolhos”, disse Izabella Teixeira.

A ministra reconheceu, porém, que se trata do maior desastre ambiental da história do país e grande parte da fauna aquática sofreu danos irrecuperáveis. “Os peixes de superfície conseguiram migrar para os tributários, conseguiram migrar, mas estão morrendo. A calha do rio principal é impossível de ser recuperada”, disse a ministra. Ela deu as declarações pouco antes de participar de uma conferência sobre emissões de gases de efeito estufa nesta quinta-feira (19), na Zona Sul de São Paulo.

Onda de lama invade Rio Doce na cidade de Resplendor – Espírito Santo (Secom/Governo do Espírito Santo)