Marcha contra o terrorismo reúne 1,5 milhão de pessoas na ruas de Paris

  • Por Jovem Pan com EFE
  • 11/01/2015 15h19
Milhares de pessoas saem às ruas em marcha contra o terrorismo e a favor da liberdade de expressão na FrançaMilhares de pessoas saem às ruas contra o terrorismo

Cerca de 1,5 milhões de pessoas, entre elas líderes de todo o mundo, foram às ruas do centro de Paris para a manifestação convocada em defesa da liberdade de expressão e contra o terrorismo. E mais de um milhão de pessoas foram às ruas no restante da França, segundo cálculo do jornal “Le Figaro”.

Os chefes de Estado presentes em Paris para a marcha silenciosa de solidariedade com as vítimas dos atentados dos últimos dias na França estiveram 20 minutos na linha de frente da manifestação. O presidente francês, François Hollande, liderou a marcha e esteve acompanhado por diversos líderes, como o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron.

O Ministério do Interior do país divulgou que o ato da capital “não tem precedentes”, embora tenha admitido que ainda não tem estimativa da quantidade de pessoas que se reuniram nas ruas, porque muita gente se incorporou a marcha durante sua realização.

*** Ouça o balanço da manifestação com a correspondente Ana Carolina Dani

Também participaram da manifestação os familiares das vítimas dos atentados terroristas desta semana contra a revista “Charlie Hebdo” e do supermercado kosher, nos quais morreram 16 pessoas junto da policial municipal assassinada também na quinta-feira. Hollande, segundo a agência France-Presse, cumprimentou, durante a marcha, as famílias das vítimas dos atentados desta semana. 

O lema “Je suis Charlie” (“Eu sou Charlie”) dominou os cartazes exibidos pelos manifestantes do percurso entre a praça da República e a praça da Nação, no leste da capital. 

A imagem que chamou atenção durante a marcha foi a proximidade do Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, de seu rival político Mahmoud Abbas, presidente da Autoridade Nacional Palestina. Ambos estavam na linha de frente da passeata.