May afirma que agressor era britânico com conexões de violência extrema

  • Por Jovem Pan com EFE
  • 23/03/2017 08h26
Vários ficam feridos após ataques perto do Parlamento britânico; veja fotos

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse nesta quinta-feira (23) que o agressor do ataque ocorrido na última quarta-feira (22) possuía nacionalidade britânica, era conhecido pelos serviços secretos e também tinha conexões com a violência extrema. O agressor atropelou transeuntes na Ponte de Westminster para posteriormente apunhalar mortalmente um policial que tentou freá-lo na entrada do parlamento britânico, antes de ser finalmente morto a tiros pelas forças da ordem. Foram quatro mortos no total. 

Em um comparecimento na câmara dos Comuns, May informou que o atentado de quarta-feira (22) diante do parlamento foi um “ataque contra todas as pessoas livres” e que o Reino Unido “não tem medo”. 

A Polícia Metropolitana de Londres (Met) elevou para oito o número de detidos vinculados com o atentado, que até o momento deixou quatro mortos (incluído o agressor) e dezenas de feridos.

A Scotland Yard, que previamente tinha informado sete detenções, atualizou o número para oito detidos pelos agentes armados que realizaram de madrugada batidas em seis direções de Londres, Birmingham e outros pontos do país, como parte da investigação para esclarecer o ocorrido.

Os agentes investigam agora qual foi sua motivação para cometer o atentado, assim como quais foram os preparativos e se teve cúmplices.

O chefe da unidade antiterrorista da Polícia, Mark Rowley, disse que até o momento não foram detectados indícios que apontem a “novas ameaças” terroristas.