Médicos mexicanos desenvolvem proteína sintética para neutralizar HIV

  • Por Agencia EFE
  • 01/12/2014 19h49

Cidade do México, 1 dez (EFE).- Médicos mexicanos estão desenvolvendo uma proteína sintética que gere uma resposta imune nas células alvo do vírus HIV, revelou um estudo publicado pela Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) no Dia Mundial de Luta contra a Aids.

“Trabalhamos para identificar as regiões onde (o vírus causador da Aids) se funde com seus alvos e invadi-las. Se conseguirmos bloqueá-las por meio de anticorpos neutralizadores, a infecção será evitada”, explicou Leticia Moreno Fierro, que lidera o grupo de pesquisa.

“Se conseguirmos respostas celulares específicas”, os linfócitos chamados TCD8 “seriam capazes de identificar às células infectadas e aplicar uma ofensiva direta para eliminá-las”. detalhou a especialista da Faculdade de Estudos Superiores Iztacala, da UNAM.

O objetivo é gerar através da proteína uma resposta imune específica nas regiões do vírus que funcionam como receptores nas células alvo.

“Se conseguirmos induzi-la por meio da vacinação, podemos ter mais possibilidades de proteger um indivíduo no momento em que é infectado”, especificou.

Os testes da proteína em ratos conseguiram a indução de anticorpos específicos, e será necessário analisar se os anticorpos tiveram sucesso em neutralizar a infecção em cultivos “in vitro” de células humanas, explicou a médica na publicação. EFE