Meirelles: governo precisa fazer uma contenção permanente do gasto total

  • Por Estadão Conteúdo
  • 21/10/2016 15h17
WAS10. WASHINGTON DC (EE.UU), 07/10/2016.- El Ministro de Hacienda de Brasil, Henrique Meirelles, habla hoy, viernes 7 de octubre de 2016, en una rueda de prensa en el Ronald Reagan Trade Center en Washington (EE.UU.), en el marco de las reuniones anuales del Fondo Monetario Internacional y el Banco Mundial. El Ministro Meirelles dijo que la economía de su país esta registrando un impulso de confianza con las reformas anunciadas en el congreso con el fin de dejar atrás la aguda recesión. EFE/LENIN NOLLY.Henrique Meirelles - EFE

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta sexta-feira (21) em evento na capital paulista, que o País precisa fazer uma contenção permanente do gasto total no governo “Precisamos fazer contenção permanente de gastos total (do governo) e aumento temporário de receitas”, disse. 

Ele reforçou que a contenção de gastos é necessária em virtude de um cenário histórico que mostra que a arrecadação cresce mais que o Produto Interno Bruno (PIB) em épocas de crescimento da economia, mas que cai mais do que a queda do PIB em períodos de recessão. 

Meirelles reforçou que a intenção do governo é consubstanciar as condições para a estabilidade econômica do País. “Nós queremos aqui consubstanciar porque de fato precisamos ter confiança para fazer projeções com base nisso, e não apenas em plano ou intenção de governo”, disse.

Ele comentou que o governo atual está criando condições de estabilidade “para os próximos anos ou, quem sabe, para as próximas décadas”. As medidas, segundo o ministro, criam condições para a estabilidade econômica do Brasil, depois de cair sistematicamente de 2011 até maio de 2016.

“A mudança não foi apenas subjetiva, ela é objetiva, a expectativa começa a subir combinada com índices de indicadores antecedentes da economia, que começam a dar sinais positivos, e isso reflete na expectativa dos agentes que a mudança vai ocorrer e que o ajuste vai ser feito”.