Merkel defende decisão de enviar armas aos curdos

  • Por Agencia EFE
  • 24/08/2014 19h23

Berlim, 24 ago (EFE).- A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, defendeu neste domingo a disposição de seu governo de enviar armas aos curdos que lutam contra os jihadistas do Estado Islâmico (EI) como uma contribuição para deter essa organização à qual qualificou de “genocida”.

“Se em uma situação assim nos pedem armas e munição, não podemos negar-nos a enviá-las”, disse Merkel durante uma entrevista concedida à emissora de televisão “ARD”.

Merkel, no entanto, esclareceu que o envio de armas teria certas limitações e que, de nenhuma maneira, se poriam à disposição do Partido dos Trabalhadores Curdos (PKK), organização considerada terrorista pelo governo alemão e pela União Europeia (UE).

Além disso, Merkel descartou o envio de tropas de combate à região e disse que, sobre o envio de instrutores militares, não há nenhuma decisão tomada.

O governo alemão declarou na semana passada sua disposição a enviar armas aos curdos, abandonando um princípio tradicional de sua política externa de não enviar armas a regiões em conflito. EFE