Metalúrgicos aprovam suspensão temporária de contrato de 900 em São Caetano

  • Por Agência Brasil
  • 15/05/2015 18h57
SÃO CAETANO DO SUL, SP, 24.03.2015: INDÚSTRIA-AUTOMOBILÍSTICA - Saída de funcionários da fábrica da GM (General Motors) na cidade São Caetano do Sul, no ABC paulista, na tarde desta terça-feira, (24). A General Motors abriu na última sexta-feira (20) o segundo plano de demissões voluntárias este ano. O plano será aplicado na fábrica de São Caetano do Sul, e tem como objetivo "adequar a produção à atual demanda do mercado". (Foto: Renato Mendes/Brazil Photo Press/Folhapress)General Motors

Os metalúrgicos de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, aprovaram hoje (15), em assembleia, por unanimidade, a proposta da General Motors (GM) de colocar 900 funcionários em lay-off. A medida é uma alternativa para evitar demissões na unidade.

Nesse caso, o contrato de trabalho é suspenso temporariamente, mas o empregado continua recebendo o salário integralmente, pois a empresa complementa o valor recebido pelo seguro-desemprego.O mecanismo é válido a partir de segunda-feira (18) durante cinco meses.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano, 386 trabalhadores que já estão em licença remunerada serão colocados em lay-off. Além desses, 514 funcionários da unidade terão o contrato de trabalho suspenso.

Atualmente 1,3 mil funcionários estão afastados, sendo 467 em licença remunerada e 854 em lay-off. Com as novas suspensões de contrato, o número deve chegar a 1,8 mil.

De janeiro a abril, as fabricantes de veículos reduziram o número de funcionários em 4,6 mil pessoas. No início do ano, 144,2 mil trabalhadores atuavam no setor. Em abril, o número caiu para 139,6 mil. Em relação a abril de 2014, foram cortados 14,6 mil postos de trabalho.

A Agência Brasil tentou contato com a GM, mas as ligações não foram atendidas.