Metrô de SP prevê obras no monotrilho da zona leste até 2020

  • Por Estadão Conteúdo
  • 18/01/2017 10h18
A queda de uma viga nas obras de implantação do monotrilho, que resultou na morte de um operário no fim da tarde de ontem (9), ainda interdita vias na capital paulista (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)Monotrilho - abr

Em mais uma mudança de planos nas obras da Linha 15-Prata do Metrô, o monotrilho da zona leste de São Paulo, a Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos promete executar as obras da Estação Iguatemi, uma parada além da Estação São Mateus, que seria a última da linha. A secretaria promete entregar São Mateus até março de 2018, enquanto Iguatemi ficará para 2020.

A mudança estará no edital que deve ser lançado ainda neste mês para estabelecer as regras da concessão do ramal à iniciativa privada. A empresa que vencer a licitação terá parte da renda da bilheteria da linha e, em troca, terá de manter a operação e a manutenção do monotrilho – o primeiro em funcionamento do País.

A expectativa do governo é que o edital seja publicado até o fim do mês de janeiro. O assunto pautou a última reunião do Conselho Estadual de Desestatização do governo estadual.

O novo prazo se soma à série de atrasos do ramal, que deveria ir até Cidade Tiradentes, no extremo leste, com 18 estações. A obra foi prometida originalmente para ficar pronta em 2014. Há dois anos, alegando dificuldades técnicas, o governo Geraldo Alckmin (PSDB) revisou a obra, que terá agora 11 paradas e deveria ser concluída em 2018.

O trecho entre as Estação São Mateus e Cidade Tiradentes vinha sendo descrito como “não prioritário”. A extensão até Cidade Tiradentes continua sem data definida.