Ministério da Educação fecha Gama Filho e UniverCidade por baixa qualidade

  • Por Agencia EFE
  • 14/01/2014 12h25

Rio de Janeiro, 14 jan (EFE).- O Ministério da Educação (MEC) retirou nesta terça-feira de operação duas universidades privadas que funcionavam no Rio de Janeiro por sua baixa qualidade acadêmica e por problemas financeiros, informaram fontes oficiais.

As instituições são a Universidade Gama Filho (UGF) e o Centro Universitário da Cidade (UniverCidade), segundo uma decisão tomada por um órgão colegiado da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres), subordinada ao Ministério da Educação.

O fechamento das universidades afetará milhares de alunos, 1.600 professores e cerca de mil trabalhadores administrativos, segundo o Grupo Galileo, proprietário dos dois centros educacionais.

Os motivos para o fechamento são “a baixa qualidade acadêmica”, a “crescente precarização da oferta” de educação, o “grave comprometimento” situação financeira do Grupo Galileo e a falta de um plano viável para superar essas questões, segundo um comunicado do Ministério.

O Grupo Galileo considerou a decisão “injusta e arbitrária” e afirmou que havia apresentado “um amplo projeto de reestruturação” que incluía “a regularização dos salários de professores e empregados”, segundo um comunicado.

As duas universidades estavam sob supervisão das autoridades desde 2012, devido a problemas acadêmicos e financeiros.

Em agosto, o MEC proibiu, de forma preventiva, a inscrição de novos alunos nos vestibulares tanto na UFG como na UniverCidade.

Em dezembro, o ministério instaurou um processo para aplicar punições administrativas à empresa responsável pelo descumprimento do plano.

O MEC se comprometeu, ainda, a assistir os alunos em sua transferência para outros centros universitários, por isso convocará, dentro de um prazo de cinco dias, uma licitação para que se inscrevam outras instituições do Rio de Janeiro aptas a receber os estudantes. EFE