Ministro da Saúde afirma que houve aumentos de verba federal para o SUS entre 2011 e 2014

  • Por Jovem Pan
  • 11/05/2015 16h38
BRASÍLIA, DF, 05.08.2014: SAÚDE BUCAL - O ministro Arthur Chioro (Saúde) anuncia autorização para que instituições de ensino superior com curso de odontologia ofereçam atendimento de saúde bucal pelo SUS (Sistema Único de Saúde). (Foto: Alan Marques/ Folhapress)Ministro da saúde

Apesar de previsão constitucional de repasses, Sistema Único de Saúde convive com subfinanciamento e integração difícil entre esferas de governo. Na última semana, o governador de São Paulo e o secretário paulista do setor fizeram críticas a como a União tem diminuído o repasse de recursos.

Nesta segunda-feira (11), o ministro da Saúde rebateu as afirmações e disse que houve aumentos de verba federal entre 2011 e 2014.

Arthur Chioro ressaltou em palestra, entretanto, que o volume de gastos do setor privado é maior do que o público, que atende a mais pessoas. “Nós não temos como avançar se não tivermos capacidade de fazer essa discussão da sociedade brasileira com o Congresso Nacional”, disse.

O presidente da Associação Paulista de Medicina afirmou que o financiamento do sistema público no Brasil é feito com metade dos recursos de outros países.

Florisval Meinão lembrou que falta boa gestão desta verba para garantir que as pessoas consigam marcar exames, cirurgias e outros procedimentos.

“O financiamento público no Brasil é a metdade daquele financiamento feito por países que têm um sistema universal como o nosso. Esse é um grande desafio, o próprio ministro admitiu este problema como uma das grandes dificuldades. O outro desafio é de uma boa gestão destes recursos para se garantir o acesso”, explicou.

Uma reclamação recorrente é relativa a tabela SUS, padrão de referência para pagamento dos serviços de empresas e entidades filantrópicas. Um exemplo está numa internação por pneumonia: O sistema paga uma cifra defasada em 90% em relação à inflação.

*As informações são do repórter Tiago Muniz