Ministro libanês aponta EI como responsável por atentado de ontem em Trípoli

  • Por Agencia EFE
  • 11/01/2015 17h09

Beirute, 11 jan (EFE).- O ministro do Interior do Líbano, Nouhad Machnouk, apontou neste domingo o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) como o responsável pelo atentando contra um café que ontem causou a morte de nove pessoas e deixou 37 feridos na cidade de Trípoli, no norte do país.

“As primeiras informações indicam que o EI é o responsável por esse atentado e que os suicidas tinham relação com o terrorista Monzer al-Hassan, que morreu há alguns meses durante confrontos com as forças de segurança”, afirmou o ministro em entrevista coletiva após participar de uma reunião de segurança em Trípoli.

Al-Hassan era considerado um homem-chave na organização logística dos jihadistas, desde a partida de seu país de origem até a chegada ao Líbano.

“Confio que os moradores de Trípoli se unirão para fazer frente ao terrorismo em todas suas formas”, acrescentou Machnouk, que advertiu que a violência aumentará este ano “por causa do exacerbado conflito sírio”.

A informação do ministro contrasta com a reivindicação do atentado que ontem à noite fez a Frente al Nusra, filial da Al Qaeda na Síria, que em sua conta no Twitter destacou que o duplo ataque é para “vingar os sírios e libaneses sunitas”.

O exército libanês anunciou hoje, em comunicado, que os suicidas Taha Samir Kayyal e Bilal Mohammed Ibrahim usavam cintos com explosivos com quatro quilos de dinamite, segundo as primeiras investigações.

As forças armadas prenderam três suspeitos por suposto envolvimento no atentado, no bairro de Jabal Mohsen, de maioria alauíta, seita à qual pertence o presidente sírio, Bashar al-Assad, informou a imprensa local.

Desde o início da revolta na Síria em março de 2011, a segurança no Líbano se deteriorou, sobretudo no norte e nordeste do país, e aumentou a divisão da população entre partidários e opositores do regime sírio. EFE