Moradores da Vila Madalena aprovam novo sistema de segurança

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2015 12h16
SÃO PAULO, SP, BRASIL, 03-01-2013: Foliões se divertem com o bloco "A Confraria do Pasmado" chega ao seu 10ª desfile de Carnaval reunindo uma multidão nas ruas da Vila Madalena em São Paulo (SP). (Foto: Silva Junior/Folhapress)Carnaval de rua na Vila Madalena

Apesar de o Carnaval ter acabado, no último final de semana a Vila Madalena ainda recebia blocos de rua. Sábado (21) e domingo (22) foram os primeiros dias que apresentaram novo esquema de organização e segurança no local. O planejamento foi aprovado pelos moradores e a festa terminou sem conflitos.

Uma área foi delimitada entre as ruas Mourato Coelho, Fidalga, Fradique Coutinho e Aspicuelta com pontos de entrada e saída determinados. Veículos foram impedidos de entrar no espaço e foi proibido ingressar com bebidas, que deveriam ser compradas de ambulantes cadastrados.

O estudante de direito Christopher Fernandes teve que trocar sua bebida de recipiente após passar pela blitz e considerou uma boa medida. “Eu achei bacana a iniciativa de tirar os vidros, tinha que colocar em um copo ou garrafa de plástico. No carnaval tinha muita garrafa quebrada no chão”, lembrou.

Alguns ambulantes foram cadastrados para comercializar bebidas em lata e comida dentro do perímetro determinado para a realização dos blocos. Apesar disso, houve falta de orientação para os vendedores, que no começo tiveram que andar de um lado para o outro, diz a ambulante Ivi Sonza. “A gente correu para cadastrar e recadastrar, mas depois veio o pessoal da CET e falou que tinha que tirar o carro porque ia ser guinchado. Aí fica difícil”, apontou.

O presidente da Sociedade Amigos da Vila Madalena, Cássio Calazans, aprovou as estratégias tomadas, mas gostaria que todo esse planejamento tivesse chegado antes. Ele afirma que os problemas ocorrem mesmo em dias sem blocos e que uma ação como esta do fim de semana fez diferença. “Teve final semana que não teve bloco e a Vila Madalena ficou lotada. Essa ação não foi feita antes porque ninguém achava que ia dar esse boom”, disse sobre o número inesperado de pessoas, que chegou a 40 mil.

Uma reunião do Conselho Participativo da Subprefeitura de Pinheiro para avaliar a realização do Carnaval está marcada para o próximo dia 4. A associação de moradores deve ir à justiça pedir isenção do IPTU e ressarcimento de perdas.