Morales pede a países ricos que assumam liderança contra mudança climática

  • Por Agencia EFE
  • 24/09/2014 00h23

Nações Unidas, 23 set (EFE).- O presidente da Bolívia, Evo Morales, reivindicou nesta terça-feira aos países desenvolvidos que assumam a liderança na luta contra a mudança climática como principais responsáveis do problema e ajudem às nações mais pobres para que também possam tomar medidas.

“Fazemos um chamado aos países desenvolvidos para que assumam a liderança na resposta à mudança climática”, disse Morales em seu discurso na Cúpula do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), onde falou em nome do grupo G77 mais China.

O grupo com 133 países em desenvolvimento considera que os estados mais industrializados devem assumir os maiores esforços contra o aquecimento global por sua “responsabilidade histórica”.

Morales, que foi um dos primeiros líderes a discursar na cúpula, lembrou que são os países em desenvolvimento os que “sofrem mais os efeitos adversos da mudança climática”, apesar de serem “os menos responsáveis” do problema. Além disso, lembrou que a crise do clima e suas consequências dificultaram a erradicação da pobreza e o desenvolvimento sustentável.

O presidente boliviano insistiu que a resposta global deve respeitar os princípios de equidade e de responsabilidades comuns, mas diferenciadas. Além de assumir maiores medidas de mitigação, para o G77 é fundamental que os países desenvolvidos deem recursos financeiros e tecnologias aos mais pobres para que possam atuar.

Morales também expressou sua “profunda decepção” pelo fato de que haja países desenvolvidos que não assinaram o Protocolo de Kioto e assegurou que isso “coloca sérias dúvidas sobre sua credibilidade e sinceridade”.

Para avançar, o líder boliviano defendeu a utilidade da Convenção Marco das Nações Unidas sobre a Mudança Climática (COP) como o “fórum intergovernamental primordial para a negociação”.

“A mudança climática é um dos desafios globais mais graves de nosso tempo”, lembrou Morales. EFE

mvs/cdr