Morre aos 117 anos Filomena Taipe Mendoza, a mulher mais velha do Peru

  • Por Agencia EFE
  • 06/04/2015 20h52

Lima, 6 abr (EFE).- Filomena Taipe Mendoza, considerada a mulher mais velha do Peru, morreu no domingo aos 117 anos na cidade de Pucuto, na região de Huancavelica, informou nesta segunda-feira o Ministério de Desenvolvimento e Inclusão Social (Midis).

Filomena Taipe, que segundo os dados oficiais nasceu em 1897, vivia sozinha em uma casinha de barro em Pucuto e “mantinha uma saúde e lucidez assombrosas para sua idade”, assinalou o Ministério.

A idosa era viúva e mãe de nove filhos, que criou sozinha, e mantinha contato com três de seus filhos ainda vivos.

“Os moradores de Pucuto e centros povoados da região lembram dela caminhando pelas chácaras com sua bengala, recebendo o cumprimento respeitoso e carinhoso de crianças, jovens e adultos que passavam por ela. Eles a visitavam todos os dias”, assinalou o Midis.

Taipe afirmava que seu segredo para viver tanto anos era “a alimentação natural” e que nunca comia “nem de latas, nem de envelopes, nem bebidas gasosas”.

Quando completou 117 anos, em dezembro, foi parabenizada por toda sua comunidade, “que via nela um exemplo a seguir por sua integridade e pelos conselhos sobre alimentação que dava às crianças”, destacou o Midis.

A idosa recebia desde março de 2014 uma pensão do programa de assistência governamental previdência 65, que dá 250 sóis (US$ 83) bimestrais aos idosos de 65 anos ou mais que vivem em situação de extrema pobreza.

O Midis assegurou que esta contribuição “permitiu melhorar mais ainda a qualidade de sua comida, agregando à sua dieta frutas, que gostava muito”.

“Como acontece com muitos adultos idosos esquecidos e em extrema pobreza, Filomena Taipe não teve documentos durante praticamente toda sua vida. Recém tirou sua identidade para poder ter direito à previdência 65”, ressaltou.

Os números oficiais indicam que existem mais de 400 idosos com mais de 100 anos estão listados no programa do governo, e 51 deles vivem em Huancavelica, uma das regiões mais pobres do Peru. EFE