Morrem 27 insurgentes em operação militar e em choques entre grupos afegãos

  • Por Agencia EFE
  • 14/07/2015 11h08

Cabul, 14 jul (EFE).- Pelo menos 27 insurgentes, entre eles um líder talibã, morreram e outros 11 ficaram feridos em enfrentamentos entre membros desse grupo e o Estado Islâmico (EI) e em uma operação militar na província de Nangarhar, no leste do Afeganistão, informaram nesta terça-feira fontes oficiais.

Membros do EI e dos talibãs se envolveram ontem em confrontos armados em dois distritos da província, nos quais 14 insurgentes de ambos os grupos morreram e outros 11 ficaram feridos, disse a polícia regional em comunicado.

Também em Nangarhar, as forças de segurança afegãs lançaram ontem uma operação especial contra o governador talibã na sombra para a vizinha província de Laghman, disse à Agência Efe o porta-voz do Diretório Nacional de Segurança (NDS, sigla em inglês), a agência de inteligência afegã, Abdul Hassib Sediqi.

Como resultado, o líder insurgente, que foi identificado pela fonte como Amin Khan Kochi, morreu junto de uma dúzia de seus homens.

Kochi “estava na lista principal de alvos da NDS e ontem pudemos eliminar esta ameaça”, detalhou Sediqi, que acrescentou que o comandante talibã tinha participado de diversos ataques mortíferos, entre eles o que há alguns meses acabou com a vida de 16 civis durante um funeral em Laghman.

Um policial de Nangarhar, que preferiu manter o anonimato, explicou para a Efe que Kochi tinha sido enviado à província alguns dias antes para liderar a luta talibã contra o EI, com quem o grupo insurgente disputa o controle de várias áreas da região.

O de Laghman é o quarto governador talibã na sombra morto em operações das forças de segurança afegãs nas últimas semanas.

Os talibãs lançaram no dia 24 de abril sua tradicional ofensiva de primavera (hemisfério norte) e, desde então, aumentaram o número de ataques em todo o país e intensificaram sua luta contra o Estado Islâmico, que chegou recentemente ao país asiático, alterando o cenário de guerra dos últimos 13 anos.

As baixas em Nangarhar acontecem após a primeira reunião oficial entre os talibãs e representantes do governo afegão, realizada no Paquistão, na última terça-feira, e que serviu como preâmbulo de uma negociação de paz. EFE