Motim em presídio hondurenho deixa 3 mortos e 16 feridos, diz bispo

  • Por Agencia EFE
  • 11/03/2015 15h15

Tegucigalpa, 11 mar (EFE).- Pelo menos três pessoas morreram e outras 16 ficaram feridas, entre elas cinco policiais, durante um motim ocorrido nesta quarta-feira na penitenciária de San Pedro Sula, no norte de Honduras, denunciou o bispo auxiliar da cidade, Rómulo Emiliani.

Segundo ele, que teve entrada autorizada no presídio, dois dos detentos morreram no local, e o outro em um hospital.

“Quando cheguei, o tiroteio estava terrível, por milagre de Deus não houve outra tragédia”, afirmou.

Emiliani acrescentou que houve momentos em que os prisioneiros “estavam dispostos a matar quem quer que fosse”, mas que “no final, sempre porque Deus age, tudo se acalmou”.

O bispo, que também coordena um projeto para a construção do novo presídio de San Pedro Sula, disse que viu detentos com ferimentos na cabeça, nas pernas e nas costelas.

Nenhuma autoridade informou sobre o ocorrido hoje no presídio, que fica na região central da cidade e onde os presidiários vivem em péssimas condições.

O motim começou quando policiais se preparavam para entrar no presídio para uma operação de busca e apreensão e tirar 20 detentos considerados “altamente perigosos” pelas autoridades, que seriam levados a outros centros penais.

Para evitar a entrada dos policiais, os detentos incendiaram colchões nos portões de entrada do presídio.

Os presidiários que seriam transferidos disseram em comunicado que se opõem a essa medida porque temem ser assassinados.

Ontem, nove presos e um militar ficaram feridos durante um motim na Penitenciária Nacional, o principal presídio de Honduras, em protesto pela transferência de 22 condenados a outro centro de reclusão, de acordo com autoridades do país. EFE

gr/id