Motores do avião da TransAsia falharam antes de cair

  • Por Agencia EFE
  • 06/02/2015 08h31

Taipé, 6 fev (EFE).- A análise das duas caixas-pretas do avião da TransAsia acidentado na quarta-feira mostrou falhas nos dois motores e teve vários alertas automáticos de perda de empuxo mínimo para se sustentar em voo, conforme foi anunciado pelas autoridades locais.

“Aconteceu uma falha nos dois motores, uma ligação da tripulação, um barulho externo e depois a comunicação foi interrompida”, disse em entrevista coletiva o diretor-executivo do Conselho de Segurança de Voo, Wang Xingzhong, ao falar sobre os resultados preliminares do exame das duas caixas.

Segundo os dados analisados, o voo GE235 da TransAsia durou 3 minutos e 23 segundos. Às 10h51min13s hora local da quarta-feira recebeu a permissão de decolagem e caiu no rio Jilong às 10h54min36.

Segundo os últimos números, 35 pessoas morreram no acidente, enquanto ainda há oito desaparecidos, os quais são dados como mortos.

Wang explicou que muito pouco tempo depois de decolar o motor esquerdo parou, pelo que o piloto e o copiloto enviaram um sinal de alerta tentaram ligá-lo de novo.

Depois o segundo motor falhou e também se tentou reativá-lo, após o que se ouve um barulho externo e se interrompe a gravação das caixas-pretas, acrescentou.

Um minuto antes o avião de cair foram registrados cinco alertas automáticos que o avião estava perdendo o empuxo suficiente para poder se manter em voo, concluiu.

Analistas taiuaneses apontaram que, em uma situação de falha mecânica como esta, o piloto não podia fazer muito, por isso que pediram um maior controle das revisões e mais medidas de segurança.

“Com dois motores danificados não é de estranhar que o avião perdesse altura de 381 metros às 10h53, um minuto depois da decolagem, para 90 metros um minuto mais tarde”, disse à Efe o especialista aeronáutico taiuanês Eddie Yu. EFE