Motorista de Uber é agredido e tem carro danificado ao atender chamada falsa

  • Por Jovem Pan
  • 24/10/2016 17h29

Carro teve lateral danificada por 10 pessoas que cercaram o homem de 51 anos na baixada santista

Ford Ká teve lateral danificada por 10 pessoas que cercaram o homem de 51 anos na baixada santista - DIV

Grupo de criminosos que usam o nome dos taxistas continuam armando emboscadas a motoristas do Uber em Santos, litoral paulista. Valmir de Oliveira, 51 anos, teve seu carro totalmente danificado e sofreu agressões ao atender uma falsa chamada do aplicativo no bairro do Morro da Nova Cintra, neste domingo (23).

Segundo o motorista, a chamada chegou no momento em que ele desembarcava um passageiro e o pedido de corrida veio próximo à Lagoa da Saudade. Chegando ao local, onde ocorria uma espécie de festa, Valmir foi abordado por cerca de 10 pessoas, que começaram a chutar o carro e atacá-lo com socos.

Os agressores ainda abriram a porta do veículo, tentaram roubar o seu celular e furaram os pneus traseiros do Ford Ká.

O motorista conta que resistiu e acelerou o carro, conseguindo fugir. Depois, chamou a Polícia Militar, que não pôde identificar os agressores, mas aguardou com a vítima a chegada do guincho.

Valmir trabalha há sete meses com o Uber, mas já pensa em desistir devido ao medo com a violência de grupos que se identificam como taxistas para com os que utilizam o aplicativo de transporte individual.

O carro que Valmir usa é alugado e o motorista terá de pagar a franquia do seguro.

Questão municipal

Os casos de chamadas falsas e emboscadas têm se repetido nos últimos tempos, segundo o relato de motoristas. O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), chegou a proibir o Uber na cidade, mas foi obrigado a voltar atrás por ordem judicial.

Os motoristas se sentem desemaparados, mas já não sofrem com os guinchos da CET.

Com informações do repórter Jovem Pan, direto do litoral, Guilherme Amaral