Motoristas de vans escolares de SP protestam contra cadeirinha

  • Por Estadão Conteúdo
  • 10/09/2016 13h33
Organizadores afirmam que cerca de 2 mil veículo participaram da manifestação

Motoristas de vans escolares realizaram na cidade de São Paulo, neste sábado, 10, um protesto contra a padronização nacional dos veículos e a obrigatoriedade das cadeirinhas para bebês e crianças. A concentração começou por volta das 9h, na Praça Charles Miller, no Pacaembu, zona oeste, e o ato se encerrou na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), no Ibirapuera, zona sul.

Organizadores afirmam que cerca de 2 mil veículo participaram da manifestação. Na programação, os motoristas saíram em carreata pela Marginal do Tietê e Avenida Tiradentes, depois pela Avenida 23 de Maio e seguiram até o Aeroporto de Congonhas, na zona sul. Por fim, os motoristas protestam na frente da Alesp.

Segundo o diretor social da União Geral do Transporte Escolar (Ugtesp), Jorge Formiga, os motoristas estão preocupados com a obrigatoriedade de uso das cadeirinhas para crianças entre um e quatro anos. “A Resolução 541, do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), vai entrar em vigor a partir de fevereiro”, disse.

“Isso é um transtorno porque as cadeirinhas não representam segurança e as vans teriam de ter outra estrutura para acomodá-las”, afirmou Formiga. “Nossas vans são desenvolvidas e apropriadas para transportar crianças dessa idade. Somos a favor de segurança, mas de uma forma que acrescente. Não com um resolução que não foi pensada, mas sim imposta.”

Os profissionais também são contrários à padronização nacional da frota. “Quando a gente analisa as especificações, percebe que seremos obrigados a trocar a vans por ônibus. Em São Paulo não vai caber. Sem contar que o custo para o motorista é muito maior”, disse o diretor da Ugtesp.