Movimento gay organiza manifestação e pede ministério da diversidade no Chile

  • Por Agencia EFE
  • 24/06/2015 18h05

Santiago do Chile, 24 jun (EFE).- O Movimento de Integração e Liberação Homossexual (Movilh) do Chile convocou para o próximo sábado uma manifestação para pedir a criação de um “Ministério da Diversidade” e de uma legislação de identidade de gênero.

A organização estima que sem uma autoridade anti-discriminação, a atual lei que pune essas condutas é inócua.

“Nenhum órgão estatal previne os abusos, coordena, recebe e contabiliza os casos de discriminação, muito menos ajuda as vítimas. Estes problemas são resolvidos com institucionalidade”, assinalou o Movilh.

A manifestação acontecerá na Praça Itália, a seis quadras do Palácio de la Moneda, no centro de Santiago, e terá um palco onde se apresentarão vários artistas chilenos que apoiam o combate à homofobia.

A atual legislação contra a discriminação, conhecida como “lei Zamudio”, foi inspirada em um jovem homossexual de 24 anos que morreu em março de 2012 após ser atacado por um grupo de neonazistas.

Sua morte comoveu o país e agilizou a aprovação de uma lei contra a discriminação, que dormia há vários anos no congresso chileno.

A lei, aprovada durante o governo de Sebastián Piñera (2010-2014), endureceu as penas pelos delitos cometidos por motivos de sexo, ideologia, raça ou outras discriminações. EFE