MP abre inquérito para investigar exposição de MCs mirins a comportamento depreciativo

  • Por Jovem Pan
  • 25/04/2015 10h33
Montagem/Reprodução/Facebook MCs Mirins: MC Brinquedo

O Ministério Público abriu um inquérito para investigar a exposição dos MCs mirins de São Paulo a um suposto comportamento depreciativo. Jovens de até oito anos de idade, como é o caso da MC Melody, e outros como Pikachu e Brinquedo, ganharam um recente sucesso nacional.

Na internet e em casas noturnas, essas crianças se exibem com danças insinuantes e letras de funk explícitas, atraindo legiões de fãs, crianças e adultos.

Para a Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Difusos e Coletivos da Infância e da Juventude, isso fere a dignidade das crianças e dos adolescentes. O inquérito aberto é resultado de denúncias e representações encaminhadas pela Ouvidoria do Ministério Público e por cidadãos.

Em entrevista ao repórter Gustavo Aguiar, o advogado Ariel de Castro Alves, membro do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, disse que é preciso ter uma avaliação legal sobre a exposição dos funkeiros mirins.

“Não há nada contra o funk, contra a manifestação cultural dos jovens. É importante que ela aconteça, mas com os limites e determinadas restrições, para que não prejudique tanto os fãs e também não prejudique os artistas juvenis”, explicou.

Para o advogado, esse limite da expressão dos MCs mirins deve estar respaudada pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. E o Ministério Público deve considerar três aspectos: a questão do trabalho, permitido apenas com autorização específica e acompanhamento do Conselho Tutelar, e isento de qualquer indício de exploração; ao ambiente frequentado por esses pequenos MCs, em casas noturnas, que oferecem bebida alcóolica; e ao conteúdo das letras cantadas por eles, além do comportamento diante do público, alvo de discussão sobre a depreciação da infância não só dos artistas, mas como dos fãs menores de idade.

As produtoras KL Produções e GR Produções, paulistanas responsáveis por lançar a maioria desses artistas mirins, e MC Belinho, o pai de MC Melody, de oito anos, não atenderam as ligações para responder à nossa reportagem sobre essa investigação de que são alvo.