MP entra com ação contra o estado por pessoas enterradas como indigentes

  • Por Jovem Pan
  • 23/04/2014 12h24

O Ministério Público vai entrar com ação contra o estado depois de descobrir que pessoas são enterradas como indigentes mesmo portando RG. Apesar da identificação, cerca de 3 mil casos foram verificados pela promotoria desde janeiro de 2000.

Os corpos não reclamados por familiares em 72 horas vão para a vala comum, sendo enterrados em Vila Formosa e Perus. Ou seja, em meio a burocracia estatal nenhum funcionário tenta localizar os parentes, mesmo com a pessoa portando o RG ou outro documento.

O erro ocorre no Serviço de Verificação de Óbitos, ligado à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Em entrevista ao repórter Thiago Ubereich, a promotora Eliana Vendramini avaliou que a ação visa indenizar as famílias dos mortos.

*Ouça os detalhes no áudio

De acordo com a promotora Eliana Vendramini, cada família deverá pedir exumação dos corpos para fazer um novo enterro. O coordenador de Direitos Humanos da OAB/SP, Martim de Almeida Sampaio, apontou a Anderson Costa a necessidade de cadastro comum de desaparecidos.

A reportagem da Jovem Pan entrou em contato com o Serviço de Verificação de Óbitos que não quis se pronunciar. A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo vai investigar se a Polícia Civil falhou em não cruzar dados de mortos e desaparecidos.